Cansaço


Cansei do Bilac!

Prefiro ser poeta num traço.

Procuro um verso e tropeço n’outro!

Tento seguir a linha, mas ando trôpego!

E descalço!




"Mulher com chapéu", Di Cavalcanti, 1940.


2 sorveram o néctar:

Wesley Viana disse...

E entre um tropeço e outro, acabam surgindo pequenas obras- primas, como esse seu lindo poema, que resume bem o quão árduo é o ato de escrever. É algo gratificante mas também decepcionante, às vezes, pois as palavras parecem não gostar de serem subjugadas. Como dizia Drummond: "Lutar com as palavras é uma luta vã, no entanto lutamos mal rompe a manhã." Espero que você nunca se canse da briga.

Ariane disse...

Querido Wesley, tens razão mas tenho andado justamente na contramão disso tudo...Tanto prazer nos dão aquelas poesias nascidas da intuição, como esta aqui que veio quase de presente dentro de um sonho! Mas a briga é real. Lutamos sim com as palavras, mas lutamos por elas também, para que sejam raras, nem sempre claras, mas pela paixão entoadas! Beijo!