Ombros


possuo dois precipícios

onde quedam-se as dores

dois grandes abismos

onde suicidam-se amores

de tão fortes e desvalidos

suportam o mundo

e as alças do vestido!




"Mulheres peneirando o trigo", Courbet, 1855.

16 sorveram o néctar:

J.R. Lima disse...

Ah, estes fortes acidentes geográficos...

Eu® disse...

teus ombros suportam o mundo...

Bj na alma

Yara Beatrice Jasmin Nin Poulain Black Mamba disse...

Lindos os teus ombros...

Ariane Rodrigues disse...

J.R.
acidentes geográficos
em espaços sobrepostos
compostos em vãos...hmm
que paisagem formarão?

Ariane Rodrigues disse...

Eu, bom te ver por aqui! Beijo!

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada Yara! Seja bem-vinda! Abraço!

J.F. de Souza disse...

tão fortes e desvalidos
que nunca se veem
encolhidos

------------------------------

Ah, você não tem nada que aprender comigo... Prefiro o teu lirismo sempre, moça Ariane! =)

=*

douglas lucas disse...

opa depoois se possivel passa la no outro blog meu
coloquei uns textos novos
valew abraço

nina disse...

Adorei!! Seus ombros fortes, delicados e desprotegidos.
Beijo querida e que possamos continuar a trocar impressões fenomenais, incidentais, ocasionais e acidentais.

Ariane Rodrigues disse...

JF, beijos!

Ariane Rodrigues disse...

Ok Douglas, abraço!

Ariane Rodrigues disse...

Certo Nina querida! Continuemos! Beijos!

Maze disse...

Um bela comparação!

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada, Maze!

Múcio L Góes disse...

gosto
do teu jogo
incontido,

dos
meus olhos
qd bailam

mirando
as violetas
do teu

vestido.


rs

bjo.

Ariane Rodrigues disse...

Lindo, querido Múcio!
Beijo!