Ato de Contrição




Senhor, não imploro teu perdão

Explicando-Te se pequei ou não


Pois se meu destino é contra Ti pecar

Não há porque perdoar


Se me enveredei por outras campinas

É porque viver cerceada não podia


E se antes me vias perdida entre as colinas

Hoje me tens nos Teus prados arrependida!





"Indredulity of Saint Thomas", Caravaggio, 1602.


16 sorveram o néctar:

Raskólhnikov disse...

em nome da métrica,
da sensibilidade,
e do lirismo,

Amem (todos).

Ariane Rodrigues disse...

Raskólnikov, agora sim, com teu lindo desfecho, Amém!

Philip Rangel disse...

Puts..que maravilha de blog..por isso que falo os conteudos sao de mais...e um mundo enorme mesmo....
parabens mesmo.....


lirismo apareceu ai mesmo..

parabens...

Eu® disse...

as vezes penso que vivo num eterno ato de contricao... muito lindo texto!

R.Vinicius disse...

Tua escrita é bela, bom cunho, sensibilidade. Perdão peço a ti por minhas palavras serem pequenas.

Abraços,

R.Vinicius

Xana disse...

Tenho um desafio para si, o meu último post( dia 23) explica tudo.
Participe, espero que esta ideia, seja um prazer para a escrita!
Bom fim-de-semana :)

Ariane Rodrigues disse...

Obrigado Philip! Espero que volte mais vezes!

Abraço!

Ariane Rodrigues disse...

Olá Eu, todos nós vivemos assim...
Abraço!

Ariane Rodrigues disse...

Que nada Vinícius! Tu também escreves lindamente; não tem que pedir perdão nada!

Obrigada, querido!

Ariane Rodrigues disse...

Ok, Xana! Vou lá conferir sim!

Sabrina Sanfelice disse...

Senhor, eu me arrependo de todo coração de "me" ter ofendido e errado...

Prometo, com a vossa graça, pecar mais.

Adoro sua sensibilidade.

Beijo

Ariane Rodrigues disse...

Olá Sabrina! Obrigada! Não tem jeito de ser diferente né? Rezemos assim, então...Beijo!

Cadinho RoCo disse...

O perdão de Deus tem dimensão que não se limita ao perdão que praticamos e conhecemos. O pecado é tudo aquilo que contraria o nosso querer. Se agimos em favor do nosso querer não pecamos. Se arrependemos assumimos postura de reparo e perdão que concedemos a nós mesmos por aquilo que contrariou nosso ser. É por aí que podemos sentir a força da presença de Deus em nós, para que sigamos firmes e fiéis ao que de fato pretendemos alcançar. É por aí que surge o dito perdão de Deus que quer e que torce por nós para que cresçamos sempre. Deus nunca está contra nós.

Ariane Rodrigues disse...

Ok, Roco! Obrigada por rezar mais um pouco...Abraço!

J.R. Lima disse...

E ainda há quem prefira os grilhões e seguidores cegos...

Lindo poema, dispensa explicações.

Ariane Rodrigues disse...

Valeu JR!