Prece ao Vento


Oh, Ventos de desgosto

Que meu rosto transpassam

Movimentos sem gosto

Que de mim tudo arrastam!


Aquietem-se em minh’alma

Sosseguem meu corpo

Como sopro leve e brisa calma

Quanto um sussurro morto.

3 sorveram o néctar:

Ariane Rodrigues disse...

Poema meio Álvares de Azevedo, mas verdadeiro.

Araceli disse...

Essa me lembrou aquela música, sonífera ilha....um xeru!

rodriguesmaze@gmail.com disse...

Ao sabor dos ventos com som de sabor do mar, profundo, misterioso, rico de vida e de morte, porisso com uma sonoridade que nos faz refletir...