Meu coração


Meu coração é um carro desgovernado

Músculo enfermo, partido, descontrolado

Mecânico e sem câmbio automático

Que circula desvairado, desregulado

Marcando passo apressado, desajustado

Por um amor gentil, vil, desenfreado

Que partiu, fugiu, dormiu anestesiado

E me deixou assim, sem mim, sem porvir, dilacerado.

1 sorveram o néctar:

rodriguesmaze@gmail.com disse...

Neste carro é preciso muito cuidado ao dirigir... não há oficinas de reparos, nem consertos para a engrenagens, só muito boa vontade para fazê-lo operar.
E ele é o seu melhor amigo, não um calhanbeque qualquer.

Bi.. bi..bi..
ou será
Tum...tum...tum...tum...