1 ANO DE POESIA !!!





Olá amigos do blog!



Hoje, 30 de Maio, faz um ano de poesia. Um ano que resolvi partilhar um pouco minha pequenina poesia. O que sinto, meu universo subjetivo. Quero agradecer imensamente a todos que visitaram, e sobretudo aos que comentaram. Aqui se sentiram aconchegados. Traduzidos, tocados, ou revelados, permitindo que eu, de alguma maneira, soubesse disso. Deixo a todos o "Pessegueiro em flor", pois não encontrei algo mais apropriado, delicado e intenso para ofertar neste dia. Também resolvi republicar alguns que estão entre os meus preferidos ao largo desse período. Espero que gostem.


Grande abraço da Mariposa!



O trem


O trem

Vem vindo vem

Nessa férrea linha ad finem

Sem ninguém, sem ninguém

Repetindo seu réquiem

Para um bem

Que já não tem, que já não tem...



Grão de Areia


Aceito na areia ser grão perdido

Pois que da Vida já não duvido


Se apenas sou ente em grupo constituído

Não há outra maneira de acolher o Destino


Grânulo minúsculo e pequenino

Que na Natureza se encontra retido


A resignar-se perante um Todo, ferido

Por não ser Possuidor, mas ínfimo possuído!


Cansaço


Cansei do Bilac!

Prefiro ser poeta num traço.

Procuro um verso e tropeço n’outro!

Tento seguir a linha, mas ando trôpego!

E descalço!


O pretérito sentimento poético


O sentimento da poesia não existe.

O que existe é a poesia de sentimento.

No momento em que a poesia se pronuncia,

Há muito o sentimento já se perdia.


Dobrou a esquina quando eu ainda não via!



Partes


Part-o

Part-es

Partes tuas,

Minhas partes.

Partes, imos.

Partimos.

Idos partidos.

Partes idas.

Partidas.



Deus não lê poesia



De que adianta sangrar em papel as dores fugidias?

Implorar aos céus a vida que eu queria?


Súplicas em escarcéu são rasgos e amassos!

Minha pena tem mais o que rogar do que rezar ao léu!


De que adianta prostrar-me, feito réu, perante os versos

Que aqui encerro com aparente apatia?


Ademais, Deus não lê poesia!





Outono


Gostaria perder-me no outono

Em algum bosque de ouro

Num adeus, me diriam: "_tolo"

E meus rastos já não teriam dono


Mas esconder-me entre as amarelas

Fartas folhas e tantas

Entristeceria em ocre medonhas

O desabotoar das próximas gérberas!





Não tenho tempo para poesia


não tenho tempo para poesia

os ponteiros na parede apenas pontuam meu pulsar

por isso doem minhas têmporas

o tempo muda e muda a temperatura

o tempo é mudo, minha pena é temperamental

sinto que meu poema não tem tempo

e pressinto que vem vindo um temporal...




Ópio


verti-me adulterado desde que te conheci

me corrompi, despertei de todo meu ócio

de tal modo que todos os caminhos que percorri

desembocaram nas tuas trompas de falópio




A mariposa e a lamparina


mariposa, mariposa

que rodopiava a lamparina

tal qual bailarina

para onde fora?


mariposa, mariposa

trocaste a sapatilha pelo salto

agora faz sapateado

no meu coração, livre e solta?


mariposa, mariposa

será que danças tango

voando alto com algum pirilampo

em outros ares, outras folhas?


mariposa, mariposa

deixaste-me com um fado

sorumbático, de lado

já não ilumino a sala toda.



Uno

canto o canto

caminho o caminho

sonho o sonho


um

poeta

sozinho




"Pessegueiro em flor", Van Gogh, 1888.


Obs: Desculpem se houver algum problema com a formatação. O Blogger teima em ter vida própria!

23 sorveram o néctar:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada Rebeca e Jota Cê!!! Bem vindos!

Christi... disse...

Lindos poemas e parabéns !
Lindo esse blogue, e o que nele há

Beijos
Chris

Ariane Rodrigues disse...

Valeu Christi! Outros beijos.

james p. disse...

Ariane querida,parabéns.Acho sua poesia sublime, e digo isso não para simplesmente elogia-la,mas porque ela me parece vir do fundo do seu coração.Nós que somos felizardos em le-la.Grande abraço do James.

Chica disse...

Parabéns por esse aniversário de 01 ano de poemas...Muitos outros virão, com certeza! beijos,chica

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada James! Sua opinião para mim importa muito. Grande abraço!

Ariane Rodrigues disse...

Olá Chica! Eu que agradeço sua presença aqui tão especial. Bjos.

Xana disse...

Parabéns princesa :)!!!

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada Xana!

Eduardo Trindade disse...

Em primeiro lugar, parabéns! Muito ânimo e sucesso (o que será que buscas?) nesta caminhada poética. Nós, teus leitores, é que devemos agradecer o brinde que é ter tuas palavras aqui.
Vejo que hoje foste bem produtiva... O que comentar entre tantos versos de qualidade? Alguns parecem que têm exatamente o teu jeito (parece que já conheço tua poesia por um jeito de sussurro lânguido que ela tem): "Partes", "Uno". Mas hoje eu prefiro mariposa e lamparina, pois me sinto lamparina - não digo pela luz, mas pelo convite ao bailado no ar.
Abraços!

Ariane Rodrigues disse...

Ahh Eduardo! Que lindo tê-lo aqui! É muito bom saber que além de ler minha poesia consegues também captar certa essência. Ao longo do tempo, sinto que ela mudou bastante, tanto em forma como conteúdo. Já a temática é um elemento um pouco mais rígido, talvez seja o fator essencial que diz respeito a minha subjetividade. Grande abraço!!!!

nina disse...

Querida Ariane, parabéns pelo 1.º aniversário. Espero que continue a deliciar-nos com as suas belas poesias. Mil beijinhos deste lado do Atlântico e que a ponte continue entre nós!

Ariane Rodrigues disse...

Oi Nina! Certamente continuarei a atravessar a ponte, afinal, és uma das minhas primeiras e preferidas leitoras. Abraço no coração.

nina disse...

E eu gosto (muito) de te ler. ***kiss***

Wesley Viana disse...

Vida longa ao nosso querido Mariposando, que alivia nossa alma com sublime poesia.

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada Nina! Obrigada Wesley!

Bea - Compulsão Diária disse...

Parabéns!
Pela fertilidade e por tudo o mais

Nem tão só está a poetisa

Ariane Rodrigues disse...

Brigada Compulsão!

Roberio Melo disse...

Aqui nesse cantinho tive a oportunidade de apreciar otimas poesias e em algumas me identificar, Mariposa fico feliz por ter te encontrado e pretendo continuar por muitos outros anos acompanhar de perto seu trabalho. bjs

Ariane Rodrigues disse...

Continuemos então, Roberio. Bjos.

disse...

Ariane, sei que 30 de maio já foi longe, porém, especial demais pra ti e para mim (meu baby de carne e osso completa idade nesta data também!rs)e, como mães, é inevitável ignorar dia tão magnífico, não? Seus poemas são paridos do mais íntimo ser, és zelosa mulher que cuida dos rebentos como deveria fazer as demais. Parabéns pelo blog e, sobretudo, pelos lindos poemas que o fazem tão atraente. Bjins e até!

UIFPW08 disse...

Dove sei?
Ovunque sei
perdonami se ti penso
perdonami se ti cerco
perdonami se ti sogno
riposo i ricordi tra le mani
tra la dolcezza infinita dei tuoi perchè...