Fundo


no fundo


eu findo


no fundo


e fundo


no fim do mundo


meu refúgio fecundo




"Desnudo con alcatraces", Diego Rivera, 1946.


6 sorveram o néctar:

Marco Antonio G Cruz disse...

Mas como é bom isso daqui!

Ariane Rodrigues disse...

Olá Marco! Obrigada!

J.R. Lima disse...

No fundo
fundas
e refundas
um poema.

Ariane Rodrigues disse...

Sim querido JR...

fundações
fundamentos
profundidades

Compulsão Diária disse...

No fundo os dilemas;)
Gosto da sua concisão. coisa pra poucos e bons.

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada Compulsão. Eu quem te admiro. Abraço.