silêncio



eu amei o silêncio
o amei mais que pude
até certo tempo

e ele falava
falava mais que todo mundo
e tinha um defeito

o silêncio não silenciava
e todas as suas sílabas
tinham acento

sua voz sibilante
sussurrava, sussurrava
com o vento

e toda vez que ela passa
deixa algo doendo
desalento...

silêncio aqui dentro



"Still Life with Skull", Cézanne, 1900.

7 sorveram o néctar:

Kenia Cris disse...

Belíssimo! eu também já amei o silêncio, hoje tenho um pouco de medo dele, me dá um aperto no coração, sabe.

Você sempre iluminando o pensamento de quem te lê. Beijo!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ariane
Silêncio as vezes é necessário para coordenarmos nossas idéias e sentimentos.
Bjs

Talles azigon disse...

muito interessante pois eu refletia sobre o silêncio hoje de manha e compus versos sobre ele, não tão belos como o seu, claro

eu chaamo esse Cezanne de a Natureza morta, gosto de dar nome nos quadros

Noslen ed azuos disse...

...que linda poesia, tanto que não bastou meu silêncio, foi preciso dizê-lo.

ns

Eduardo Trindade disse...

Este silêncio é uma natureza morta... Mas como pulsa vida dentro dele!

J.F. de Souza disse...

mas o silêncio
existe

e pra provar que existe
esbarra
nas feridas

e arrancam
de dentro de nós
o velho som
da dor

Adair Carvalhais Júnior disse...

Belo poema.