briga com um poema



Eu briguei com um poema
Um poema sem morfema
Que a mente não traduzia
Nem à pena nada dizia...

Ahh eu nunca fiquei de mal de ninguém!
Por que será que esse poema não engrena?

Um poema assim tão grande
Mas que só em mim se expande e não além?

Ai ai, eu não sou de intriga, Dona Poesia!
Façamos as pazes
Encontremos as frases
Que tudo vai bem...



"A Childhood Idyll", Bouguereau, 1900.

1 sorveram o néctar:

Talles azigon disse...

uau!

maravilhoso, esses poemas que as vezes insistem em não sair, lembrou o meu poema fujão