menininho (a Eros)


menininho não cresça assim tão rápido

fito teus olhinhos de vidro


tenho um passo a frente, outro atrás

a vigiar os teus apressados e corridos


já atravessas a rua tranquilo

e fico a te pensar sozinho e duvido


meu cupido distraído

não tropeces no paralelepípedo


não esqueça o calçado

tem muito micróbio no piso


estás a fazer supermercado

eu ainda a te dar pirulitos


queria-te infante, comigo

mas sei que é errante teu destino


menininho, és meu gigante perdido

e sei, te vais, tornar-se-á mais pequenino




"Mother and child", Picasso, 1907.

16 sorveram o néctar:

Kenia Cris disse...

Que lindo isso Ariane!
Você tem filhos? Eu ainda não, mas acho que esse poema descreve com tanta delicadeza as angústias dos pais quando começam a crescer e ir embora os filhos. Muito muito belas palavras!

Beijo querida!

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada Kenia! Tenho um filho sim que se chama Eros. Beijo!

james p. disse...

Querida Ariane,há um selo para você lá no meu blog.Espero que goste.Abraço.

Mary Maura disse...

Querida Ariane,
amei teu blog,navegando pelas páginas e textos , deixo aqui meu carinho e admiração pela pessoa que voce é, pelo teu espaço, textos, enfim tudo ,maravilhoso....
Passarei acompanha-la, admiro pessoas como você.
Parabéns!!!
Um grande abraço
Maura

Léo Metallica disse...

Essa foi para aqueles que é menininho e para aqueles que nunca deixaram de ser menininhos.

Direto do Rio.
Beijos.

Ariane Rodrigues disse...

Obrigada James! Vou lá buscar então!

Ariane Rodrigues disse...

Olá Mary, obrigada pelo comentário tão carinhoso. Fico feliz que tenhas apreciado o blog. Seja sempre bem vinda!

Ariane Rodrigues disse...

Sim Léo. Obrigada por visitar-me. Volte mais vezes. Abraço!

Scheer disse...

As crianças crescem tão rapido, mas a lembrança de tua alegria é eterna!
Parabéns!
Boa semana!

Scheer disse...

As crianças crescem, mas fica as lembranças de suas alegrias.
Parabéns!
Boa Semana!

Kátia Ruivo disse...

Ariane,

tem um selinho pra vc lá no meu blog!
bjos

Eduardo Trindade disse...

Vi a passagem do tempo, vi minha mãe, e vi a mim mesmo em teus versos. Muito bonitos. Mais que bonitos: emocionantes. De quebra, não sabia que tinhas um filho, acabei desobrindo um pouquinho mais da poetisa que há por trás do poema.
Abraços!

Ariane Rodrigues disse...

Verdade Scheer! Obrigada!

Ariane Rodrigues disse...

Valeu Kátia! Abraço!

Ariane Rodrigues disse...

Pois é Eduardo, que texto não carrega a subjetividade do autor? Ainda mais poesia! Abraço, querido! E obrigada, como sempre.

HISTORIANDO disse...

Continues a polinizar e herdarás um campo de girassóis.
(Zé Maria )