* Serpente (para Erosss)



Saindo
Sozinha do sótão
Surucucu cinza
Na sala serena
Ensaiando
Um sambinha
Sério, silencioso
Sorrateiramente
Suavemente
Sob meus sapatos
Circundante, cerceante
Sorvendo meu sangue
Traçando no seio
Uma percussão de susto
Um som surdo
No compasso
De um sinuoso segundo
Sssssssssssssssssssssssssss


Detalhe de "Serpentes Aquáticas", Klimt, ?.
*Republicaçao

4 sorveram o néctar:

Renata de Aragão Lopes disse...

Aliteração
do começo ao fim.
Que primor!

Beijo, querida!

Geraldo Soares disse...

Ah... Um poema simbolista moderno cheio de aliterações. Bonito!

J.F. de Souza disse...

ser
pente
ando

sibil
ante
mente

lindo!!! =D

Samuel Pimenta disse...

Os sentidos gritantes na palavra!
Belíssimo!

Um abraço,

Samuel Pimenta.