Esfinge de Morgan

Assim, meio devagar, meio compelida por outrem pousei em um blog. Precisava de um sítio para completar essa etapa de minha vida. Crisalidamente envolvida em um universo bem delimitado, só meu, espero desabrochar mais tarde... Momento de folhas. As flores virão na estação seguinte. Sempre repugnei os insetos, por suas fases larvais, seus aspectos bizarros ou por qualquer outra razão recôndita. No entanto esse muito me interessa. Pra mim representa mais que um inseto. É um “pano de fundo”. Um hobby. É um retrato. Um estilo. Quem sabe, uma filosofia? Um vai e vêm constantes de altos e sobressaltos se oscilam nesse ciclo interminável de fugacidade emocional. Minha alma sai a borboletear por aí... Esse lugar ainda não é o meu! Diz-se que há instantes em que voam borboletas em nosso estômago... O meu está cheio delas! Algumas aprisionadas, é claro! Como um casulo que protege, mas sufoca. Precisam voar errantes e errar por si mesmas; precisam voar e pousar às vezes pois as asas se estafam de bater. O repouso também é necessário, mas dobro as asas para cima para preservá-las ao próximo vôo. Sabe, não é fácil metamorfosear a vida ou será que a vida é quem nos transforma? Não é fácil escolher entre polinizar e migrar, por isso busco ambos. Almejo diversos tipos de vôos. Não quero os já padronizados, já formatados. Quero as diversas tonalidades, os diferentes cheiros, as flores desiguais. Qual será mesmo a próxima rota? Psiu... Bem baixinho agora. Devo voltar, buscar alimentos, hibernar as pupas... Fecho-me para transmutar-me em seguida...

8 sorveram o néctar:

Isabelle Rabelo disse...

(Meu Deus...)
*Que linda!*

Que este espaço seja um feliz prenúncio de primaveras mais completas para muitos (além da glória do próprio ofício, né?): que essas tenham as rosas arianas; almejadas mariposas, "borboletas em pétálas", abelhas, e toda cor sensível que você pintar nessas nossas telas particulares (nas quais vc pousa e deixa um cheiro rosa)!

Suas asas estão lindas, e as letras que delas se desprendem dançam no ar e recaem sobre nós como pólen fértil.(tamanha eficiência e beleza!).

(A partir de hoje, sou parte deste seu novo casulo, ok? Obrigada pelo convite e pelo abrigo.)

Um beijo enorme, cheio de amor!

Hunting disse...

...assincrônica lucidez no bater de asas multicoloridas da linda "borboleta" ARIANE, sensibilizando flores, cravos, rosas, cactos, explicitando o gozo em folhas prenunciando MUNDANÇAS.

PARABÉNS!

Nildo.

rodriguesmaze disse...

Num impulso o pulso que se alonga em mão e dedos vai se somando em outros objetos que num afã de desejos se transformam em idéias transcritas ao papel.

És tu que escreves e sem querer vai te colocando no 'ar' e marcando o teu tempo e vejo que isso é bom...

Continue sobrevoando este espaço e polinizando o caminho. Sei que isso faz um bem enorme, não só a ti mas a nós leitores teus.

Um chero

Ericka Camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ericka Camila disse...

Parabéns!!

Era mesmo o que estava faltando para você poder mostrar a todos
"esta espécie de loucura
que a pouco chamar talento
e que brilha em você, na escura confusão de seu pensamento" (adaptado de Pessoa)

Que você pinte incansavelmente com todas as cores de sua poesia o branco que corre pelo rio da vida.

Beijos

Wesley Viana disse...

Que bom que você finalmente resolveu divulgar o seu talento. Adicionei seu link no meu blog. Me visite quando puder: contraconto.blogspot.com

Anônimo disse...

Oi!
Gostei muito de seu blog...

Ana Maria

Ariane disse...

Obrigada Ana! Volte mais vezes! Beijo.